domingo, 8 de maio de 2016

Van Helmont



    Juan Bautista Van Helmont (1577-1644) nasceu em Bruxelas, Bélgica.
   Foi médico, químico e fisiologista, grande defensor da Abiogênese (Geração Espontânea) e da hipótese de Aristóteles, que afirmava a existência de um "princípio ativo" capaz de originar seres vivos. Van Helmont acreditava que conseguiria "fazer" um ser vivo por meio da matéria bruta, o que acabou se mostrando improcedente.
   Juan Bautista Van Helmont, projetou nova luz sobre o magnetismo animal, tendo sido o mais importante continuador e discípulo de Paracelso. 
   Não se absteve de algumas experiências curiosas, próprias dos primeiros experimentadores. Afirmou que se um sapo for colocado num vaso profundo, de onde não possa sair, e se olhado fixamente, faz todos os esforços para evadir-se, porém, não o conseguindo, volta-se para o hipnotizador, fita-o fixamente, irrita-se e cai fulminado, ao cabo de um tempo mais ou menos longo.
   A Igreja Católica, como sempre, combateu os médiuns, e Van Helmont certa feita, respondendo a um jesuíta as críticas que o mesmo fizera a Paracelso, atribuindo ao demônio as curas por ele efetuadas, expressou que os teólogos deveriam se ocupar com as causas divinas e os naturalistas com as causas da natureza, porque a natureza não havia escolhido os teólogos como seus intérpretes, e sim os seus filhos, os físicos e naturalistas.
   Contribuição de Van Helmont - teria sido o primeiro a usar a expressão magnetismo animal, afirmando que essa força procede do corpo físico e as vibrações são forças espirituais do homem interior. Anunciou também a intervenção dos espíritos nas curas do magnetismo.  

Referências:
Magnetismo Pessoal, Heitor Durville, cap. 8, Olhar Magnético, Editora Pensamento, 



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...