segunda-feira, 23 de maio de 2016

Durville

   
    Hector Durville (1849-1923), pesquisador do campo do magnetismo animal. Foi secretário geral da Sociedade Magnética da frança e continuador do Jornal du Magnetisme, criado pelo Barão de Potet.
   Atuou no auxílio ao poeta português Fernando Pessoa, que em 1919 lhe escreveu solicitando atendimento por meio do magnetismo.
  
   Hector Durville é citado em livro editado pela Federação Espírita Brasileira: Da Alma Humana. Seu autor, Antonio J. Freire relata, à página 61, que Durville utilizou-se de médiuns videntes para receber instruções de verificação enquanto aplicava passes para desdobramento em outra pessoa. Segundo Freire, o pesquisador Hector Durville conseguiu, através de passes, desdobrar do corpo humano o duplo etérico e desdobrar, deste, o corpo astral:

Hector Durville, famoso magnetizador, que, em 1.909, consegue dissociar, exteriorizar e estudar com certa amplitude, experimentalmente, este segundo elemento do complexo humano - o corpo astral
Em 1.909, Hector Durville verificou a exatidão das experiências de A. de Rochas de Aiglun referentes ao desdobramento da alma humana e à projeção do duplo, por processos magnéticos mais rápidos e simples, e menos perigosos, conjugando os passes magnéticos com a sugestão. Além das indicações fornecidas pelos seus passivos, serviu-se também de videntes naturais e de videntes magnéticos a fim de obter informações mais precisas e variadas, que a fotografia e outros maios de verificações físico-química vieram confirmar plenamente nos mais importantes fatos.
Devidamente magnetizado, o passivo exteriorizava o seu fantasma ou duplo, azulado à sua esquerda, alaranjado à direita, ligado ao corpo físico do passivo, donde dimanava, por um cordão mais ou menos luminoso, por vezes de luminosidade intermitente e de cores mal definidas, tendendo para o azul escuro, e - fato estranho, já registrado por A. de Rochas - era precisamente dentro deste fantasma que se localizam não só a motricidade e a sensibilidade do passivo que o tinha originado, mas também todas as faculdades anímicas características da individualidade pensante e volitiva, logo que o duplo adquirisse a condensação suficiente através dos passes magnéticos longitudinais, intensivos e prolongados sobre o sensitivo.


    O Barão du Potet, em seu livro 'Manual do Estudante Magnetizador', afirma, a respeito de Durville:

   Sem dúvida, o magnetismo humano possui uma qualidade curativa de surpreendente eficácia, como demonstra o grande magnetizador H. Durville: “O magnetismo é o regulador, o grande modificador, o princípio do equilíbrio, por excelência. Com ele, a vida que se extingue dentro de um corpo deteriorado por uma longa sequência de sofrimentos, renasce, como se alguém tivesse infundido uma nova vida nesse corpo.”

Contribuição de Hector Durville: obteve, por meio da aplicação de passes, o desdobramento do duplo etérico e o desdobramento do corpo astral (psicossoma, no dizer do espírito André Luiz)

fontes:
A Alma Humana, Antonio J. Freire, Federação Espírita Brasileira.
Manual do Estudante Magnetizador, Barão du Potet

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...