segunda-feira, 9 de maio de 2016

Villers




     Charles Joseph de Villers (1765-1815) foi um filósofo e militar de artilharia francês, que interessou-se pelo magnetismo animal a partir de 1784, quando descobriu o magnetismo sonambúlico e seus efeitos curadores. Em cinco anos de estudos estabeleceu uma teoria completa do Magnetismo.    Foi autor de várias obras notáveis, publicou em 1787 seu ‘Magnétiseur amoreaux’, que, apesar de sua forma de romance, é um excelente tratado de metafísica e de magnetismo. Villers era um membro da Sociedade de Harmonia ao qual pertencia o Marquês de Puysegur. Desenvolveu uma teoria filosófica para o magnetismo animal e foi claramente influenciado pela escola lionesa do Cavalheiro de Barberin. Villers escreveu a respeito da relação entre magnetizador e magnetizado, reconhecendo a existência de uma espécie de identificação que se estabelece entre os dois.  Villers não acreditava na existência de um fluido magnético, vendo o magnetismo como um trabalho da alma que faz uso da vontade para fazer surgirem os efeitos curativos pretendidos.  

   Contribuição de Villers: Sua ênfase na interação emocional do tratamento magnético foi um passo importante no sentido de estabelecer princípios de uma psicoterapia magnética que só muito mais tarde (na obra de Liébeault, Janet, Brever, Freud etc.) viria a ser concretizadas.

Fonte: Le magnétiseur amoreux, par un member de la société harmonique du régiment de Metz, Geneva, Charles de Villers, 1787.
 Animal Magnetism, Early Hypnotism, and Psychical Research, An Annotated Bibliography, Adam Crabtree, New York, 1988

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...