domingo, 3 de março de 2019

Espíritos que desconhecem sua situação - Estou no Metrô

Muitos espíritos ignoram o fato de estarem desencarnados. Allan Kardec é o primeiro a nos esclarecer a esse respeito:
  
 "Um fenômeno mui frequente entre os Espíritos de certa inferioridade moral é o acreditarem-se ainda vivos, podendo esta ilusão prolongar-se por muitos anos, durante os quais eles experimentarão todas as necessidades, todos os tormentos e perplexidades da vida."  (Allan Kardec, O Céu e o Inferno, Primeira parte, cap. 7: Código penal da vida futura)

   
   O caso prático apresentado a seguir, possibilita depararmo-nos com o apoio que respostas simples podem proporcionar, mesmo que sem a intenção de estabelecer sugestionabilidade, mas no sentido de ser uma ferramenta útil para romper o impasse de situações em que o comunicante se mostra arredio ou defeso em relação a receber o atendimento. 


ESTOU NO METRÔ

- Seja bem-vindo
= Estou sozinho no metrô.
- Você não está mais sozinho, estamos com você.
= Mas não te vejo, só te ouço.
- Bem... sabe o que é, eu estou falando pelo auto-falante do metrô.
=  Fui assaltado. Sou executivo.
- Convido-te a seguir conosco, você será atendido. Fazemos parte de uma equipe de atendimento, em nome de Jesus.
=  Estou debaixo da escada do metrô.
- Você precisa de atendimento e estamos aqui para ajudá-lo, peço que aceite nosso auxílio.
= Fui assaltado... Ele levou minha pasta de executivo e feriu-me pelas costas... vou ficar embaixo da escada.
- Olha vou sair daqui da cabine de som e vou até onde você está. Vou descer a escada. Aqui estou, você já pode sair para ser atendido.
= Mas com esta roupa não posso, minha roupa está em frangalhos, não posso sair assim.
- Pegue esta muda de roupas e se troque.
=  Trocar-me aqui? é impróprio o local. Não vou me trocar aqui.
- Não se preocupe, eu trouxe um biombo portátil, e vou montá-lo. Pronto, agora você pode se trocar. Sente-se melhor?
= Sim, estou mais calmo.
- Vamos orar a Deus agradecendo tudo que recebemos dEle. 
(procede-se uma oração)
= Vejo luzes. Um amigo meu está aqui.
- Ah! Que bom.
= Estou sendo atraído pelo corpo búdico do meu guru.
- Então siga em paz com seu amigo.

     Seguindo a orientação de Allan Kardec registrada em Obras Póstumas:
   "Incumbe ao observador atento formar o conjunto, coordenando, colecionando e conferindo, uns com os outros, documentos que tenha recolhido".
     Casos como estão sendo estudados por grupos mediúnicos, em uma rede de colaboradores.
   O autor deste blog coordena o projeto de pesquisa sobre relatos de reunião mediúnica, o qual conta já com a participação de alguns centros espíritas, os quais enviaram relatos de casos práticos para a constituição de um glossário de tipos de comunicantes e estudo dos modos de diálogo que será publicado sob o título 'Atendimento na Reunião Mediúnica'.
   Enviaremos aos grupos interessados em conhecer o projeto, o PDF do glossário-rascunho, bastando inserir abaixo na área de comentário, o email da instituição.   




Nenhum comentário:

Postar um comentário

O surgimento da palavra médium

       Encontramos na literatura espírita referências que buscam firmar Allan Kardec como o criador da palavra médium.  Seguem três exemplo...